Nove freiras ficam grávidas em mosteiro que abriga refugiados; irmãs falam em “milagre”

Em julho de 2016, um mosteiro feminino de Milão, Itália, abrigou 5 refugiados do norte africano.

Inicialmente, este foi visto como um gesto de caridade e inspirado pela graça de Deus, mas entretanto a polémica instalou-se pois nove jovens freiras surgiram grávidas.

A Madre Superiora Abadessa abandonava o mosteiro à noite, embora fosse sua obrigação ficar lá dentro para vigiar as mais novas, e pensa-se que isso as motivou a passar as noites com os refugiados.

Passados 6 meses, as barrigas das freiras ficaram visíveis e estas foram obrigadas a realizar testes de gravidez, cujo resultado foi positivo, e tiveram de sair do mosteiro e renunciar à vida conventual.

Porém, as irmãs asseguram que não tiveram relações sexuais com os refugiados, justificando-se:

“Não fizemos nada de errado. Estes sofredores necessitaram de amor e conforto. Maria também engravidou, permanecendo virgem, e a sua inocência é sabida tanto por Madre Abadessa como por nós. Recebemos o mesmo milagre, não há outra explicação, e agradecemos a Deus por isso. Se Maria voltasse hoje ao nosso meio, muitos homens que se dizem piedosos e religiosos não acreditariam na sua virgindade e diriam que ela tinha feito coisas pecaminosas.”

Entretanto, ficou conhecido o relato de um dos refugiados sobre a sua estadia no convento:

“Nós divertimo-nos com as irmãs e vamos recomendar este lugar a todos os nossos amigos. Obrigado, irmãs. Obrigado, Itália.”

Gosto desta publicação -->

O que acha deste caso? PARTILHE!

Racismo separa jovens apaixonados no colégio. Mas quando ele a vê 43 anos depois, recusa-se a deixá-la partir!

Casamento De 54 Anos Destruído Em Segundos