Um jovem inventa “a água de comer” para ajudar pacientes idosos a continuar hidratados

Os mais velhos, que sofrem mais de demências, perdem a sensação de sede e por isso podem colocar a própria saúde em risco.

Ao não beberem água suficiente, é relativamente fácil sofrerem uma desidratação grave. Para além disso, muitas pessoas com demência têm dificuldade em engolir fluídos, o que complica ainda mais a hidratação.

Recentemente, o jovem neto de uma senhora com uma demência ainda leve, criou um plano que possibilita à avó, e a todos os outros idosos, beber líquidos suficientes sem esforço.

Depois de ver a avó ser internada devido a uma desidratação séria, Lewis Hornby começou a pensar numa maneira de fazer com que a idosa se lembrasse de beber água.

Então, inventou bolas coloridas, feitas com 90% de água e o resto de gelatina e eletrólitos para potencializar o efeito hidratante.

As bolas são sólidas, têm cores chamativas e não deixam resíduos nas mãos! A abertura da caixa com as bolinhas tem abertura fácil, feita de propósito para quem tem menos destreza, e uma cobertura transparente para que as gelatinas coloridas chamem a atenção dos mais velhos.

“A minha avó já comeu 7 gelatinas em 10 minutos, o que equivale a um copo de água, que ela teria tomado em horas e necessitaria da assistência de alguém”, explica Lewis.

Sem dúvida, um método simples mas eficiente para evitar que o estado de saúde dos idosos se complique ainda mais. PARTILHE!

Jovem de 14 anos volta a deixar todos de boca aberta com fenomenal atuação no America’s Got Talent

20 fotografias de satélite que demonstram que as mudanças climáticas transformam o nosso planeta