in

Perder um amigo de quatro patas pode fazer tão mal quanto perder uma pessoa querida

O laço criado entre o homem e os seus animais de estimação é muito especial. Quem tem um sabe que é difícil sentir-se amado por uma pessoa da mesma maneira. Eles aceitam-nos incondicionalmente, recebem-nos com todo o entusiamo, adoram passar tempo connosco e  brincar. Tudo de forma incondicional. Os nossos amigos de quatro patas precisam da nossa presença para serem felizes.

E isso só nos pode fazer felizes também, porque sabemos que, num momento de desespero ou solidão, podemos contar com um ser tão puro para nos dar um pouco de amor e nos fazer sorrir de novo.

O que acontece, então, quando perdemos um deles? A dor que sentimos é tudo menos insignificante. Muitos pensam que é um trauma que pode ser superado sem grandes problemas, nada comparado à perda de um ente querido. No entanto, isso nem sempre é assim.

Um estudo do Departamento de Psicologia da Universidade do Novo México examinou vários donos de animais de estimação e questionou-os sobre os seus sentimentos após perder os seus amigos de quatro patas.

Todos deram um valor profundo e intenso à dor sentida. Muitos disseram aos investigadores que a morte do cão ou gato não poderia ser comparada diretamente à de um parente, e às vezes até pode mesmo ser pior. A sensação de vazio e tristeza, em muitos casos, foi muito mais duradoura.

Perder um animal de estimação é como perder uma alma gémea, um melhor amigo único especial, uma figura que sempre esteve presente sem criticar ou julgar. Nunca se deve subestimar o sofrimento de alguém que perdeu o seu animal de estimação.

PARTILHE!

A solução mais eficaz para perfumar a casa inteira

Beija-flor visita homem que lhe salvou a vida todos os anos como forma de agradecimento