Não era um tubarão: o motivo do horror dos banhistas era muito pior

Tudo corria normalmente na praia de Panama City, na Flórida, EUA, quando repentinamente, todos se concentraram no horizonte, pois algo se estava a mexer no meio da água.

Ao início, Jessica Simmons lembra-se de ter pensado que se tratava de um tubarão, mas ao aproximar-se da costa e ouvir uma pessoa a gritar, percebeu que alguém se estava a afogar.

Há 15 minutos, Roberta Ursrey, o marido, o sobrinho e a mãe, estavam a tentar nadar contra as ondas fortes para salvar os dois filhos pequenos que tinham sido levados pela corrente.

O mar estava tão forte que não os deixava voltar a costa, e eles estavam a afogar-se! Porém, quando a família finalmente chegou até eles, também começaram a afogar-se.

Então, não só a família de 6 ficou presa, como também mais 2 casais que tinham nadado até lá!

Infelizmente, não havia nadadores salvadores na praia, e a polícia não sabia o que fazer, pois certamente aquelas pessoas iam perder as forças a qualquer momento.

Então, Jessica disse para si própria: “Estas pessoas não vão morrer hoje. Não vai acontecer. Vamos salvá-las.”

Jessica pegou numa prancha e foi para o mar, destemida, pois sabia que era uma boa nadadora, e contagiou o resto das pessoas. Entretanto, uma a uma, entraram na água e deram as mãos, criando uma corrente humana enorme!

Juntaram-se mais de 80 pessoas, no mar perigoso, chegando até onde a água dava pelo pescoço, simplesmente confiando umas nas outras.

Na ponta da corrente, Jessica passou os dois meninos pequenos para a pessoa do lado, que as passou para a outra, e assim sucessivamente, até estarem seguras.

Contudo, quando Jessica chegou à avó das crianças, percebeu que a idosa já tinha bebido muita água e os seus olhos estavam a revirar-se involuntariamente. “Deixe-me aqui e salve os outros”, disse a idosa.

Jessica ficou muito emocionada com a atitude da senhora, e fez questão de lhe dar força para esta aguentar até chegar mais ajuda.

A senhora sofreu um enfarte devido ao stress, mas as urgências médicas ainda chegaram a tempo e levaram-na para o hospital, onde se encontra estável.

De resto, as 10 pessoas em perigo foram salvas, e as que formaram a corrente humana também regressaram à costa em segurança!

No final, todos aplaudiram e celebraram aquele momento tão único e especial.

Esta é a prova de que a união faz a força.

Veja o vídeo e PARTILHE!

Gosto desta publicação -->

Menino sem braços dá a chupeta ao irmão e consegue acalmá-lo

Irma faz com que o oceano desapareça das praias da Flórida e das Bahamas e é aterrador