in

Hotel abre na quarentena para abrigar pessoas sem-abrigo – elas retribuem com serviços gerais

A gerência do hotel de luxo Fownes, em Worchester (Inglaterra), têm sido amplamente elogiados por se ter recusado a fechar durante a pandemia para poder oferecer estadia gratuita a pessoas sem-abrigo.

O hotel tem 60 quartos, com um preço médio de US $ 155 por noite, mas não cobrou nada às mais de 45 pessoas sem-abrigo que hospedou.

Para agradecer, os novos hóspedes começaram a prestar serviços gerais por todo o hotel, como jardinagem, limpeza dos quartos e construção de novas paredes e pátios de tijolos.

“Fiz isso porque estava entediado, mas também como agradecimento à equipa, que tem cuidado de mim”, disse Eddie Boult, um ex-pedreiro que construiu um muro e um pátio no hotel.

Peter Swinbourne, de 48 anos, sem casa há 25 anos, disse que a amabilidade da equipa o salvou. “Eu nunca dormi numa cama de casal antes. Estou feliz aqui – este é um hotel de 5 estrelas que abriga os sem-abrigo”, disse.

Terence Marriott, de 55 anos, está no hotel há 6 semanas e diz que tem sido muito bem cuidado. “A comida também é excelente. Sinto-me muito mais saudável do que quando entrei”, comentou.

O hotel fez ainda questão de se juntar a uma instituição de caridade para pessoas sem-abrigo, para organizar workshops sobre como gerir os vícios dos hóspedes e garantir alojamento futuro.

Os três bares do hotel foram limpos desinfetados por precaução e nenhum álcool é permitido no interior do estabelecimento.

“Ficámos abertos simplesmente porque queríamos ajudar. Os nossos novos convidados ficaram encantados e agradecidos pelo apoio que receberam e tratam os seus quartos com respeito”, conta Julie Merrick, a gerente assistente.

A gerência do hotel foi feita por uma equipa de 11 pessoas, sendo que 15 funcionários foram dispensados.

Julie Merrick, mãe de dois filhos, estima ter trabalhado o dobro do que é normal durante a pandemia. “Somos o único hotel em Worcester a fazer isto. Todos fecharam as portas, mas a minha equipa é muito corajosa e está a fazer muito mais do que a sua função pede”, disse.

Esta não foi a primeira vez que o hotel ajuda em tempos de necessidade, tendo também hospedado 30 pessoas forçadas a deixar as suas casas após as inundações regionais em fevereiro.

Todos os funcionários receberam equipamentos de proteção individuais, como luvas, máscaras e aventais, e não houve nenhum caso de COVID-19 até agora. Os funcionários do restaurante trabalham 7 dias por semana para proporcionar refeições de três pratos aos hóspedes, que são entregues diretamente nos seus quartos de hotel em recipientes descartáveis ​​para reduzir o risco de transmissão do vírus.

Chão em frente ao Hospital de Santa Maria em Lisboa coberto de máscaras usadas

6 dicas práticas para manter a pele do pescoço mais jovem e menos enrugada