in

Porque é que deveria pensar duas vezes antes de comer arroz reaquecido

O arroz é um alimento básico muito comum em maioria das casas, devido à sua versatilidade e conveniência, que costuma ser cozinhado em grandes quantidades para sobrar e servir para os dias seguintes.

Tendo em conta a popularidade do arroz, é importante aprender sobre os riscos que podem estar associados ao seu reaquecimento.

Se o arroz não for armazenado corretamente, pode não ser seguro consumi-lo. Tamika Sims, Ph.D., Diretora de Comunicações de Tecnologia de Alimentos da International Food Information Council Foundation, reaquecer um pouco de arroz para uma refeição a meio da semana pode ser perigoso.

Em primeiro lugar, é importante ressaltar que o possível risco não é devido ao reaquecimento do arroz em si. O problema ocorre quando o arroz cozido é deixado em temperatura ambiente durante muito tempo, pois podem crescer esporos de Bacillus cereus, bactéria que provoca intoxicações alimentares.

“Quanto mais o arroz cozido for deixado à temperatura ambiente, mais provável é que as bactérias ou toxinas o tornem inseguro para comer”, afirma o site do NHS.

Se você comer arroz com Bacillus cereus presente, poderá ter “diarreia aquosa e cólicas abdominais, náuseas e vómitos”, segundo o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA.

Para evitar isso, devem-se refrigerar os alimentos logo após o seu cozimento. “Duas horas depois de cozinhar os alimentos, ou de os retirar do fogão, micro-ondas, forno, etc), as sobras devem ser colocadas no frigorífico”, diz o especialista Sims.

Basicamente, deixe o arroz arrefecer até à temperatura ambiente antes de o colocar no frio, mas não deixe passar mais que isso.

A mesma regra se aplica a todos os alimentos que “vêm de um buffet de restaurante ou de um mercado que sejam preparados da mesma forma que em casa”, explica o especialista.

Depois de o arroz estar guardado com segurança no frigorífico, consuma-o no prazo de 1 dia. “Se o reaquecer dentro de 24 hora, verifique que está bem quente, e não reaqueça mais de uma vez”, aconselha Sims.

Caso não tenha a certeza de quanto tempo o arroz ficou cá fora à temperatura ambiente, o melhor é não o consumir.

Quanto aos alimentos para bebés e crianças que usam arroz preparado, “esses alimentos embalados devem ser preparados de acordo com o rótulo e, uma vez que tenham sido cozidos, devem ser armazenados conforme mencionado acima e, então, as sobras podem ser consumidas em segurança como com outros alimentos”, assegura Sims.

Se estiver preocupado com a preparação segura de alimentos em geral, é melhor seguir o método “limpar, separar, cozinhar e arrefecer”. Foi Sims quem sugeriu esta diretriz, destacando os três componentes principais do processo:

  • Lave bem as mãos antes de comer ou preparar qualquer refeição;
  • Manuseie qualquer carne crua separadamente dos seus produtos e alimentos secos, como arroz. Para os pais, isso significa lavar as mãos depois de manusear a carne crua e usar tábuas de corte e utensílios separados durante a preparação das refeições;
  • Certifique-se que os seus alimentos estejam cozidos a uma “temperatura interna adequada” e, quando for guardá-los, sejam armazenados e arrefecidos corretamente.

Fácil, certo? Depois de incorporar este método na sua rotina diária, vai tornar-se a sua segunda natureza.

A segurança alimentar é uma das principais preocupações de muitas famílias, e pode ser a chave para menos doenças e indisposições.

Bugatti Centodieci… o novo “brinquedo” de Cristiano Ronaldo

Anthénea: uma suite de luxo, flutuante e eco-amigável